terça-feira, 28 de janeiro de 2014

capitulo 22

                                                                    MARATONA 8/10

                                                         feliz lovatics day *----*


Meu mundo desacelerou até parar completamente. Eu nem bebi nada hoje e já estou tendo alucinações? Ouvindo coisas?
— O quê?
— O que o quê?
— Por que não pode continuar?
— Já disse, não quero que pense que me aproveitei de você.
— Peraí, como é que é?
— Pra isso, quero romper o acordo, não quero que se sinta seduzida, estuprada ou seja lá o que for.
— Você tá de sacanagem?
Para tudo! Eu ouvi quando ele disse: eu tô apaixonado por você, Demetria, ouvi ou não ouvi? Ouvi? Meu Deus o que eu tô fazendo? Eu tô pirando aqui!Me levantei ainda sem muita reação e fui até a sala catar minhas roupas do chão, Joe veio atrás.
— Eu...
— Joe, nem pense em romper o acordo, seria a humilhação suprema e você não vai me fazer passar por isso!
— Demetria...

— Nos vemos no segundo ensaio, na semana que vem.
E saí.
*
Dirigi ouvindo a maldita música do Justin Timberlake, mirrors, e chorando e cantando e estacionei na garagem do prédio, chorei tanto que adormeci no carro.
Levantei já de madrugada e entrei no apartamento.
Haviam trinta ligações no meu celular, cinco da Sel, cinco do Nick e vinte do Joe.
Não respondi a ninguém. Passei uma manhã de domingo de merda! Me escondendo do Mundo, enrolada no edredom num puta calor lá fora e eu com o ar condicionado ligado no máximo do frio.
Me acabei num trakinas meio a meio e foi essa minha refeição.
Peguei no sono e quando o sol já estava sumindo senti uns dedos no meu cabelo. Despertei assustada, Joe.
— O que você tá fazendo aqui?
— Recebi uma mensagem da Sel, pra ver o que está acontecendo com você e te encontro assim.
— Assim como?
— Um lixo.
Olhei séria pra ele.
— Joe, dá o fora.
— Não mesmo. Você tomou banho hoje?
— Não.
— Claro que não.
— Só falta dizer que estou fedendo. — não quis saber de coisa alguma, acho que até queria espantá-lo quando cheirei minhas axilas, mas o invés de ter repulsa, ele riu.
— Não tá fedendo não, só está com a mesma roupa de ontem.
— Não sei o que me deu.
— Você surtou. Colocou pra fora toda a raiva que estava sentindo por tudo que aquele babaca do seu ex te fez passar, só isso.
— Me desculpa?
— Não tem nada pra ser desculpado. — Joe olhou o pacote de biscoitos sobre a cama — Você comeu, hoje? Comida?
Fiz que não.
— Imaginei.
Observação: enquanto estava largada na cama, Joe preparou talharim ao sugo. (O melhor que já comi)
Me levantou da cama e me despiu, isso está se tornando um hábito. Mas a cada vez que me vê nua, sinto-me menos constrangida.
Despiu-se também e entrou comigo no chuveiro, esfregou minhas costas
com bastante espuma, e começou a conversar sobre um programa bobo de televisão e começamos a comparar com The Big Bang Theory.
Joe passou a esponja em meu abdome, ainda de costas para ele e encostou nossos corpos, fechei os olhos ao senti-lo, apoiei minha cabeça em seu ombro, ele desceu um pouco a esponja até a parte interna da minha coxa e subindo lentamente alcançou meu sexo.
A esponja caiu no meu pé, Joe manteve a mão direita sobre mim, levou a mão esquerda  para meu seio. A mão direita se manteve em concha em minha pélvis e me apertava com cuidado rotacionando os dedos sempre que chegava na direção de meu clitóris. Gemi baixinho.
— Assim? — me perguntou, não consegui responder — É? — ele insistiu.
— É. — respondi gemendo e senti o sorriso se armando em minha orelha.
— Nunca quis tanto fazer amor com alguém quanto quero com você.
Mais uma vez estava ouvindo coisas, essa falta de sexo anda mexendo demais com meu cérebro.
— O que?
Joe me virou me abraçando e esperou até que eu abrisse os olhos.
— Eu disse que quero fazer amor com você.
E de repente minha mente voou como um abutre sobre a carniça e me lembrei do Hyundai e do “ apartamento de apoio”, das roupas e perfumes importados, sapatos italianos, Nick  falando dos nossos bens.
Mas ele estava me olhando nos olhos, e havia uma tremenda confusão de sentimentos, a mesma confusão que vi no apartamento do Leblon. De repente ele se esqueceu de tudo que havia me dito? Fiquei tão confusa...
— Então faz. Faz amor comigo, Joe. — ignorei totalmente meu bom senso.
 _ Não posso. Quero, mas não vou. — ele não ignorou o meu bom senso?
E lá estava ele com aquele papo novamente.
— Porque...
— Porque não posso misturar as coisas.
— Que coisas não quer misturar?
— Desculpa, Demi. — voltou a me abraçar e deixou um selinho na minha boca — Vem, vamos comer comida de verdade.
— Isso não se faz, você está sendo cruel.
Sabe o que ele me respondeu? Nada! Sorriu e me fez um carinho no rosto. Pela segunda vez, esse cara quer me enlouquecer?
Sel havia se recuperado da dor de cotovelo, hmmm... mais ou menos.
E estávamos decidindo no pedra, papel e tesoura entre almoçar no vegetariano ou no galeto. Eu precisava do vegetariano, essas comidas do Joe estavam me engordando!
— Ai merda! Caralho!
— Que foi, Sel ?
— Você tá surda? Merda! Pisei numa porcaria de uma merda de cachorro, que ódio!
— Relaxa, esfrega o sapato ali no matinho.
— Ai que inferno, odeio isso! Se eu pego esse vira-latas do caralho eu colo o cu dele com super bonder!
— Você precisa comer, está começando a ficar estressada.
— Estressada vou ficar se não comer um galeto! É sério, preciso de um peito assado e batatas coradas!
— Aff... vai catar homem na praia então!  — falei com deboche e ela acabou sorrindo. Eu rindo um pouco mais.
Ela jogou pedra, eu papel.
— Há! Ganhei! Papel enrola pedra! Otária!
— Vou acabar já com essa alegria... A quantas anda você e o Joe ? —
Putz, acabou mesmo com minha alegria, meu sorriso se apagou imediatamente.
— Sei lá... é estranho pra caralho. Desde o domingo que rolou aquele lance no chuveiro e a macarronada que a gente não tem ficado muito tempo sozinhos, sexta-feira é o chá de panelas, você vai né? Porque preciso de carona — Sel respondeu que sim com um aham e seguimos para o vegetariano — Ele ficou de
passar lá só pra me buscar e me deixar em casa, sábado tem o último ensaio de casamento e aí sim vamos ficar mais tempo juntos.
— Sei não, pelo que você contou, esse cara tá afim sim de você!
— Ou tá me seduzindo pensando na minha grana.
— Ou isso, também.
— Você já pensou em ir lá no endereço que ele te levou e perguntar sobre o proprietário?
— Até pensei, mas aí podem me dizer que é o Paulo Nascimento e eu vou pirar! Outra vez...
— Acho que você tá precisando de sexo com urgência...
— Você acha? Eu tenho certeza!
— Tá mas e aí? Hoje é quarta-feira e ele não apareceu no seu apartamento?
— Isso que é o mais estranho, eu chego em casa e sei que ele esteve por lá, deixa janta pra mim, vê se pode?!
— É.... por dezoito mil.... ele tem que comparecer com algum tipo de comida né?
— Deixa de ser ridícula. — meu celular apitou uma mensagem, puxei pra ver enquanto entrávamos no restaurante — Falando no Diabo...
— O que ele quer?
— “ Demetria, vamos jantar juntos hoje?” — citei a mensagem e fiquei olhando pra Sel com cara de espanto e de boba, ela também me olhava com a mesma cara de boba espantada.
— Hmm... promissor.
Digitei a resposta que sim, queria mesmo saber o que ele estava planejando.
— Se tudo der certo, amanhã estarei com cólicas e não poderei comparecer ao trabalho. — Dei uma fungada e fiz uma cara estranha, olhei pra Sel — Nossa! Que fedô! Sel é você!
Sel começou a rir.
— Vai se fuder! E não muda de assunto não! Tomara que amanhã você não venha, já estou ficando com nervoso dessa palhaçada de vocês.
— Não é palhaçada, o cara é um michê, pelo amor de Deus....
— E isso não te impediu de se apaixonar por ele.
— Ele vai me dar um golpe, Sel.
— Só se você deixar. E quer saber? — a voz dela soava um tanto irritada — Não acredito que ele vá te ferrar. Acho mesmo que ele está interessado, mas a cada vez que vocês estão juntos você tem que jogar na cara dele que ele faz programas!
— Ah! Legal, estou ferindo a autoestima e o orgulho do piranha. Ah, Sel faça me o favor...
— Se desarma um pouco, tá bem? E não surta! Só relaxa... mas não assine nada!
O garçom apareceu para anotar os pedidos e de repente fez uma cara de quem tá com nojo, cobri o rosto com o cardápio, ele escreveu bem rapidinho e saiu.
Sel colocou o cabo da faca no alto do cardápio e foi abaixando o caderninho até dar de cara comigo segurando o riso.
— Nenhuma palavra sobre isso.
Eu bem que tentei ficar na minha, mas um colega nosso passou ao lado da nossa mesa assim que chegamos, ele é um viado muito discreto...
— Credo, vocês estão sentindo um fedor de merda de cachorro? Ai que nojo!—
Não... — Sel respondeu no maior cinismo e saiu apressada pra lavar o sapato no banheiro, não aguentei, tive que rir da cara dela.
*
Assim que cheguei em casa, estava rolando um clima romantiquinho, velas acesas, música ambiente, mesa posta e Joe, muito bem vestido com as mãos nos bolsos, a roupa social lhe cai perfeitamente bem, ele tem um ar sofisticado, um garoto de programa de luxo, com certeza.
— Boa noite, querida. — beijou minha mão tão de leve que mais pareceu um sopro, me olhando nos olhos. — Está linda com esse vestido preto.
— Boa noite, querido. — respondi com a mesma cortesia, mas que mentira, não era só cortesia porra nenhuma. — Você também está demais com essa roupa.
Sentamos à mesa e Joe nos serviu um jantar muito diferente, era num pão italiano parecido com uma broa, mas a casca era muito dura e dentro havia um picadinho de carne cremoso, tipo um escondidinho, diz ele que o nome é picadinho fondor, seja qual for o nome, estava uma delícia! Vinho tinto seco igualmente
delicioso.
— Vinho muito gostoso!
— É italiano, da região da Toscana, meraviglioso! — caraca! O tal erre que ele puxa é italiano!
— Que lindo você falando em italiano... Fala mais... — dei uma derretidinha pra ver se ele solta a língua né?!
— In tutta la mia vita, non ho mai pensato di trovare una donna come te.
— Como é que é? Me comer? Você só sabe falar de sacanagem Joe ?? — Fiquei indignada! Ele começou a rir.
— Não ragazza, eu disse que em toda a minha vida, nunca pensei em achar uma mulher como você.
— Ah. — hmmm abafa... que mico!
— E é verdade. Obrigado por jantar comigo hoje. — como assim, hoje?
— Estamos comemorando alguma coisa?
— Oficialmente meus trinta e quatro anos.
— Ah meu Deus! — levei as mãos à boca tentando esconder meu espanto
— É seu aniversário! Parabéns! — segurei-lhe a mão e ele apertou meus dedos nos dele.
— Obrigado.
Nossa, de repente eu fiquei triste, tipo, ele estava comigo e não com a família dele? Que horror, que... triste.
— O que foi, Demi ?
— Nada, eu só... pensei que... Tem certeza de que é aqui que deveria estar hoje? Tipo, aqui? — indiquei a mesa de jantar e a mim com o dedo.
— Apesar de ter de sair daqui a pouco... — ele olhou em volta, depois olhou pra mim — é... exatamente aqui, com você que gostaria de estar, na data de hoje. Portanto sua misericórdia é dispendiosa e desnecessária. Prove essa casquinha do pão com o azeite.

.............continua ...............

MAIS UM CAPITULO MEUS AMORES ...EU TAVA TENTANDO ARRUMAR A PALAVRA DE SEGURANÇA TENTAR TIRAR ...ME FALEM SE SAIU OK ?
E ENTÃO O QUE ESTÃO O QUE ACHARAM DO CAPITULO DE HJ ?
GOSTARAM DOS PEQUENOS MOMENTOS JEMI ?
OLHA ....VAI TER MUITO MAIS MOMENTOS FOFOS POR AI ...EU GARANTO ....
AHHH E O HOT JEMI ...TÁ CHEGANDO HEIN !!!!!!
COMENTEM BASTANTE PARA O CAPITULO DE AMANHÃ GALERA .....BJSSS
BOM GENTE QUEM QUISER Q EU ADICIONO NO FACE É SO ME MANDAR O LINK OK !


8 comentários:

  1. Capítulo perfeito
    Joe tá apaixonado <3
    Ansiosa para o hot :)
    Tomará que eles se resolvam...
    Beijos



    Link: https://m.facebook.com/?_rdr#!/alessandra.costaribeiro.1

    ResponderExcluir
  2. Omg!!! Posta logo!! Tão fofinhos juntos! Amei
    Bia

    ResponderExcluir
  3. Awwwwn q lindoooo,to amando posta maiiis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amore a parada dos comentários saiu, obg ;)

      Excluir
  4. Oh meu Deus! Estou pirando! #HappyLovaticDay :)
    Não demore a postar !!

    ResponderExcluir
  5. Legal tem coisa misteriosa aí. Eu to morrendo aqui c td isso. POOOOOOOOOOOOOOOOOSTA

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir